OH! O vírus saiu do computador.

            Esta história pode até ser considerada uma crônica e realmente aconteceu na minha vida. Sendo que desta vez para variar um pouco, não fui eu que exercitei a mesma, pelo contrário, não foi uma pessoa doida, criativa, criançola, muito menos burrinha que nem eu. Foi um ser totalmente sério, responsável, aplicado e inteligente. Alguém que nunca em minha vida poderia pensar que diria tal absurdo e ao mesmo tempo tão cômico. Então sem mais delongas, começarei minha história.

            Vocês sabem que há uma grande diferença entre insetos virais e vírus. Não entenderam? Pois bem, irei explicar de outra maneira…

            Há muito tempo a sociedade vem com o objetivo de eliminar de vez insetos perturbadores de sono ou até mesmo de paz, que ficam no seu ouvido zumbindo a noite inteira e não te deixam dormir. Porém existem vários outros tipos de insetos chatos, dentre os quais prefiro não mencionar porque atraem e eu não quero nenhum destes irritantes animais perto de mim. Prefiro inicialmente só falar que entre estes insetos existem uns que são grandes, pequenos, largos, fedorentos, irritantes, “esquésitos”, entre outros que não me recordo seu físico no momento.

            Pois bem, a humanidade conseguiu criar equipamentos que evitassem a presença destes impostores no mesmo ambiente que nós, humanos. Então, para nossa alegria, pelo menos da minha, nos vimos livres de grande parte desses insetos, com a criação de sprays, vassouras, chinelos – quem nunca deu uma vassourada ou uma chinelada em algum bicho? – porém a criação mais linda que por mim é muito admirada, foi a invenção do ventilador, que por mais que seu objetivo não seja o de acabar com esses mal-feitores, não há um que sobreviva ou faça barulho em nossos ouvidos em plena noite. Por mais que no dia seguinte você acorde com o nariz entupido, resfriado, doente, com febre ou passando mal, sorria pelo menos você dormiu bem. Eu ficaria!

            Contudo, como o mundo não deixa nós sermos felizes, criou outro tipo de vírus, este por sua vez não há ventilador que segure, nem spray que mate. Eu sei, é deprimente, insuportável, mas fazer o que se as pessoas com o passar dos anos vem se achando os reis da cocada preta. Com tudo isso inventaram o vírus no computador. Ele estraga seu computador todinho em fração de segundos e ainda por cima te dá um TCHAUZINHO no final de tudo.

            Esta idéia de criar isto surgiu bem depois de nossos pais nascerem por isso é bem comum escutar asneiras como as seguir:

  • Não come no computador, porque senão a comida vira vírus;
  • Lava a mão antes de mexer no computador ouviu? Senão entra vírus;
  • Hãn, o que é vírus?
  • Ah, este negócio de computador, vírus, PC, monitor, tela, iorgute, mesiene, é muito complicado para mim;
  • Com quem você ta falando? Cuidado que pode ser vírus!

 

            Entre outras coisas que só eles dizem. É um absurdo, mas é muito engraçado.

            Porém, nada é mais hilário do que o que ela me disse naquele dia. Pois é, ela. Para matar logo a charada, foi minha mãe que disse aquilo, naquele dia. Então eu irei contar logo…

            Eu estava frente a meu computador, mexendo no meu blog, no MSN conversando com cinco ou dez pessoas (não me recordo no momento), no Orkut, no twitter, escutando música, editando fotos, aprendendo a usar o “photo shop” e com o Word aberto preparando meu próximo texto. E ela estava na sala, bela e formosa, deitada no sofá vendo sua novela, aquela a qual ela jurou nunca ver para o meu pai, a mesma que ela disse que é muito luxuosa e não tem núcleo pobre. Pois é, ela estava vidrada na sua novela (como ela mesma diz) e todas as vezes que meu pai cismava em mudar de canal para ver um jogo de um time que nem time dele é (uns tais de Jurubeba e Pindaíba) minha mãe armava o escândalo porque a novela dela – aquela mesma que ela disse nunca ver – ainda não tinha acabado e meu pai do outro lado, no outro sofá, quase caindo de sono, com o controle na mão, irritado dizendo que a família iria se desunir por causa de uma novela. Mas ele achava que vendo o bendito jogo dele da série H, todos iriam se unir frente à televisão, como a família linda e bela que somos, comeríamos pipoca e iríamos gritar para a Pindaíba, só porque uniforme da Jurubeba era preto e vermelho e isso nos lembrava o Flamengo e nós odiamos o Flamengo.

            Para encurtar a história, eu estava mexendo no Orkut com todas as outras coisas ligadas, quando de repente me cai do céu, entre minha mão e o mouse um bicho esquisito, com aparência nojenta deitado de barriguinha para cima. Minha atitude não poderia ser outra, vai que era um escorpião treinado pelo FBI dos insetos e estava disfarçado de um inseto simples e a qualquer momento me picaria e eu poderia morrer ali naquele instante? Não! Tenho muita coisa para fazer ainda na minha vida. Quero ser mãe de 11 filhos, quero casar com um rapaz humilde e lindo, viajar para Milão em minha turnê internacional e fazer nome neste mundo a fora. Mediante tudo isso, comecei a gritar e clamar pela minha mãezinha (Detalhe: não gritei meu pai, porque sabia que sua reação seria me xingar de tudo quanto é nome e não fazer nada a respeito, igual a quando eu quase acordei meus vizinhos, pois vi uma barata, ao ir ao banheiro). Mas continuando… Comecei a gritar pela minha mãe e ela mais que depressa levantou de seu sofá confortável, mas que eu não posso deitar porque ela diz que pode ferrar ainda mais minha coluna e que quando eu deito, ela me detona com aquele olhar 43 e me manda sair dele imediatamente, começando a filosofar dizendo monte de coisas, sobre mim e para mim. Então ela se levantou, vestiu sua capa de heroína, onde atrás da mesma estava o seguinte logotipo: Super Mamãe, indo logo em seguida ao meu socorro. Com um ar de: “filhinha eu te protegerei de todo o mal” ela chegou perto de mim e eu apontei a aberração ainda de barriga pra cima, pedindo para fazer cosquinha nela, porém eu me segurei. Minha mãe por sua vez só conseguiu soltar uma frase, mas foi por esta frase que eu estou aqui hoje e foi por esta frase que eu e meu pai rimos a noite inteira. Ela puxou todo o ar e inocência que lhe restará e disse em voz alta: “OH! O VÍRUS SAIU DO COMPUTADOR”. Durma com essa meus leitores, boa noite!

Anúncios

2 comentários sobre “OH! O vírus saiu do computador.

  1. Larissa S. Lira disse:

    Impressao minha ou tem alguem aqui ques está escrevendo cada vez mais divinamente ? rsrs !
    Continue assim, amada . Saudades suas, viu ?
    BEIJOS :*

O que achou do texto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s