Em resposta ao seu desabafo – parte II

            Por uma preocupação que por nexo não era para existir eu já cometi a gafe de escrever um texto com este mesmo titulo, cujo objetivo fora alertar alguém sobre os erros que estava cometendo, contudo não servira para nada. De que adianta tentar afirmar a alguém algo que o mesmo não quer ver? É preferível ficar quieta e nada dizer. Mas o texto já está feito e até ficou bonito e como a educação sempre bate a porta, hei de dizer: Obrigado. Agora tchau.

            Mais um desabafo? Quantas coisas a serem ditas em um texto que não quer dizer nada. Minha visão não conta, pelo fato de não posso interferir na maneira de escrever de outras pessoas. Mas meu ponto de vista pode ser muito bem creditado aqui, porque me desculpe, mas agora quem escreve sou eu.

            Se tivesse que comparar-nos ficaríamos em posições bem contraditórias a vocês, seríamos as heroínas e quando todos os problemas passassem, lembraríamos confiantes de que vencemos o dia, combatendo o crime e as forças do mal. Quanto a vocês? O que poderia dizer? Vejamos: tentaram acabar com uma amizade? Soltaram faíscas de veneno que não conseguiram ao menos paralisar uma mosca? Foram falsas ao extremo ao afirmar que nada é pra sempre? Bom saber, bom saber.

            Agora neste texto que me pertence eu posso falar o que eu quiser, mas se quiserem direito de resposta fique a vontade, criem outro testamento, mas deste por coerência, deixe bem claro a quem vocês querem atingir, ou pelo menos, a quem vocês querem atingir e quem sabe um dia, você não ganhem meu respeito? Ficaremos assim até alguém desistir ou até perceberem que escrever pra mim é fácil e que eu não vou parar?

            Comentando sobre sua declaração, será que não percebem que não existem anjos da guarda em amigos. Pelo menos não quando vocês se agarram a eles por motivos comuns ou por conveniência. Também não existem anjos da guarda quando você se segura a pessoas que antes não te interessavam para não ficar sozinho em um ambiente onde o que não falta são pessoas, contudo faltam pessoas que confiem em você. Amigos são somente amigos, você confia nele, mas eles não são seus anjos da guarda. Anjos da guarda são sua família, que estarão ao seu lado até nos seus piores momentos, mas como disse antes, cada um tem sua opinião a respeito do que chama de amigo. Só peço que se esta for sua visão sobre amizade, não duvide nem um pouco da minha.

            Possivelmente achará que menti em algum parágrafo, vamos levante a mão, vamos ter um dialogo amigável que poderá terminar de forma pacífica onde apertaremos as mãos e nunca mais olharemos na cara uma da outra, ou terminará de forma trágica com uma detenção e um soco no olho que por conveniência não será em minha linda face. Agora eu ri, mas não da situação, foi de você mesmo, onde eu imaginei uma linda cena onde perdi uma oportunidade de fazer o que por métrica não posso fazer agora. Mas fique tranqüila, quem sabe na próxima. Por mais que eu odeie falar de coisas inúteis, eu tinha que responder o seu lindo desabafo. Vamos continuar com as ofensas? Até sexta feira.

Anúncios

2 comentários sobre “Em resposta ao seu desabafo – parte II

O que achou do texto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s