23:23

Eu posso enfrentar o mundo todo com uma mão, se você estiver segurando a outra. Eu posso ir de verdade à Lua e pedir por gentileza se ela me cedia um pouco de seu brilho para iluminar nossa vida. Eu posso ir à sua casa, revirar seus móveis para achar aquilo que ficou perdido entre suas gavetas. Aquilo que me pertencia e eu lhe dei como um presente, para que quando sozinho, abraçasse-o e sentisse meu cheiro, que me tivesse perto por pelo menos alguns instantes.

Não seria mentira se eu dissesse que ainda penso em você quando repouso minha cabeça no travesseiro, nem que de vez em quando me permito abrir o baú e achar lá embaixo embrulhado em plásticos o seu retrato e ao revirar ler o que há escrito, dos momentos felizes. Eu me permito um sonho, por mero e pequeno que este seja.

Sinto falta dos seus beijos, por mais raros que fossem. Daquele seu olhar despreocupado. Pois é, sinto falta da sua despreocupação, daquela que eu tanto reclamava, daquela que me machucava e continua a me machucar. Mas agora a dor está menor e isso me incomoda muito. É sinal de que já está passando, que já estou me esquecendo, e isso me deixa mal. Não quero esquecer. Não quero te esquecer. Quero lembrar cada momento. Cada olhar. Nosso olhar. Não quero esquecer e se pareço louca em dizer isto, não quero que pare de doer. Quero que doa, que continue a doer. Quero que se possível seja você mesmo venha ver como está essa ferida e interceda por mim, ao meu lado.

Aquelas suas frases feitas. Que saudade. Você tinha tudo preparado, como uma peça tudo o que tinha para dizer-me. Você dizia, eu escutava. Sua timidez, muita das vezes o impediu de selar pedidos que nos mantivessem juntos pelo menos por mais tempo. Meu problema, talvez, tenha sido sentir rápido demais toda essa paixão que senti por você.

Por que não tenho certeza se o que tivemos – temos – possa ser considerado amor. Mas se você segurasse minhas mãos… Se você acariciasse meu rosto… Se você me olhasse com ternura novamente… talvez eu pulasse em seus braços e dissesse que estava esperando por este momento há muito tempo e que você é um tolo por não ter percebido que minha vida se resume a você. Eu sei que já lhe disse isso que vou dizer agora, mas talvez você não tenha percebido que é somente isso que eu preciso. Que é somente isto que você precisa fazer.

Você me quer de volta? Você me quer mais uma vez? Você ainda acredita em nós dois? Se não, pare de ler o texto aqui, não se de ao trabalho de ainda ler sobre uma menina que no fundo é orgulhosa demais pra dizer que ainda te ama. Da menina desengonçada e tola que ainda te quer bem. Desta menina aqui, cujas mãos estão desocupadas.

Anúncios

O que achou do texto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s