And don’t tell me you’re sorry

Tenho que partir. Isto nunca esteve nos meus planos, mas acho que é a hora. Chega de pensar em você, como se fosse o único motivo para a minha felicidade. Tenho que viver minha vida, neste momento. Aprender a vivê-la sem você. Sem me lembrar toda a manhã que eu te amo e quero estar contigo. Sei que por enquanto eu ainda vou deixar cair algumas lágrimas no meu travesseiro e provavelmente será difícil fechar os olhos quando a madrugada vier e eu já não receber nenhuma ligação ou mensagem sua. Vai ser difícil passar por você e saber que não é meu, mas talvez isto seja o mais fácil, já que nunca tive esta certeza. O difícil vai ser quando tudo isto passar. Quando eu realmente te esquecer. Porque o costume fere e quando os motivos cessam passo então a imaginar minha vida sem você, porque neste momento estarei vivendo-a. Não sei como me despedir, meu amor. Não sei como dizer que não te quero mais, por mais que queira e quero com todas as minhas forças. Mas eu sei que não vai mudar, não por mim, mas por nós. Sei que não vai, por mais que diga que vai mudar. Outra coisa que vai doer é o fato de aceitar que você realmente perdeu quem mais te deu valor. Quem mais te amou. É difícil para você, mas muito mais para mim, que estava tão acostumada a te amar sem pedir nada em troca, só amor. E isso você me deu muito pouco. As lágrimas descem meu amor. Mas eu prefiro que desçam lágrimas a sorrisos que não refletem o que eu realmente estou sentindo. Eu ainda tento procurar meios para dizer que eu não quero mais nada com aquele que invadiu meu coração, bagunçou minha casa, depois saiu e de vez em quando, quando a solidão vem bater a sua porta me liga e fica em silêncio, talvez querendo ouvir minha voz. Meu ”Alô” meio seco, enxugado pela coberta que limpa minhas lágrimas, lágrimas que caíram por aquele que agora está no outro lado da linha receoso, com medo de dizer boa noite para aquela que talvez seja o amor de sua vida. Este motivo, meu amor, não encontro, por mais que perdure a procurar. Portanto, cabe a mim dar um fim nisto tudo. Não leio, não escrevo, não olho, não busco, não encontro mais nada que si referi a você, meu amor. Enquanto dormes, eu parto. É melhor assim. Quem sabe ainda não fiquemos juntos? Quando você for grande o bastante pra entender o significado de “amor”.  Quando você souber que esta palavra acarreta no amor de outrem e que mal utilizada pode fazer com que a mesma escreva inúmeros textos sem remetente, mas que quem lê sabe de quem se trata. Para você meu amor, até que as lágrimas cessem. As suas, pois acredito que as minhas nunca deixem de cair. Era para ser como Romeu e Julieta, mas não havia veneno que nos fizesse ficar juntos e pelo visto não havia destino também.

Anúncios

2 comentários sobre “And don’t tell me you’re sorry

  1. Chimelli disse:

    Olá, Mari, tudo bem ???
    Sou fã das palavras que escreve… As vezes arrisco alguma coisa mas não chega aos pés de suas letras.
    Parabéns pela divina inspiração… =)

    • Muito Obrigada pelo comentário. É ótimo acordar e ler comentários como os seus, que fazem você perceber que tem um motivo pelo qua escrever. Muito Obrigada mesmo. Espero que eu com minhas palavras continue o ajudando em sua inspiração. E claro que tens o mesmo potencial.

O que achou do texto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s