O Roteiro do fim

Existe uma hora na vida, que quando perdemos quem realmente amamos não nos importamos mais se ele está com outra, se está feliz. Se ele está com frio ou se ainda se lembra da canção entoada naquela quarta feira de manhã. Existe um momento em que as fotos somente te recordam uma época muito boa, mas que já passou. É muito difícil quando a saudade vem bater a sua porta somente quando já se esquece dela. Mas o mais difícil é quando ela também se esquece de você. Nesse momento você não quer mais recordações, você não sente mais saudades. Não se importa se ele chorou naquela noite, ou se hoje é aniversário dele.  Você pode dizer enfim que superou. Mas o que não aceita é o fato de ter superado. “Quem mandou superar? Quem mandou esquecer? Tanto o amei. Tanto quis que fosse para sempre. Mas hoje sei que não é que nunca será. Que não foi.” Momentos bons vivemos ao lado de quem amamos, mas sempre passam. Você pode viver ao lado de uma pessoa a vida inteira sem a amar. Ou pode a amar a princípio, mas logo este amor seca, como um rio. Como uma ponte. O momento em que a presença não for mais necessária, que a ausência for realmente o que ambos querem, nesse momento, o amor acabará. Só restará o tempo, o que passou e nada mais. Ao invés de sofrer por ter acabado, pense que tudo na vida aparece e cumpre seu papel, de alguma forma. Seja como for, seja assim.

Anúncios

2 comentários sobre “O Roteiro do fim

O que achou do texto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s