Habite-me

Mariana pediu-me para não contar
mas contarei mesmo assim

Hoje ela sonhou com o mar
Sonhou como se ele a carregasse
E porque não poderia a impregnar?
Viu que de tudo tem deste imenso pélago
a vida
a intensidade
o nome
Refugie-se oceano
Guarda-se mar
Ela deseja roubar-te
Ou na realidade já o tem
Mas…
Como é possível algo tão gigantesco
subentender-se em alguma coisa que já possui referencial?
Sim, tripulante
Quando Mariana mergulha pelas profundezas
nada mais faz do que mergulhar dentro de si própria
E quando deixa-se dominar pelo abismo
só está mostrando onde fica sua casa
E ela deseja levar-te para casa
e ela quer levar-te para ela

Ah, Mariana…
O que seus olhos não veem
o oceano faz questão de te mostrar
Como que uma sereia
com encantos e desencantos
Portanto, marujos, cuidado
há um certo falso encantamento por esta sirena
Uma intensa sedução
que não passa de pura dominação
Deseja influenciar-te
mas te tiraniza
Anseia por teu corpo
mas cobiça, na verdade, tua mente
E em seu caminho
não existem flores, nem passarinhos
Existe água, mais água e coração
Cada vez que nadam
a fim de conhecer mais da sereia
mais frustrados ficam
Pois quanto mais perto
quanto mais próximo
menos se vê
O mar esconde
O mar protege
O mar sou eu

E um dia irei roubar
o mar de Mariana

Mariana Cassiano

Anúncios

O que achou do texto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s