Permita-se

Há quem diga que a idade já passou e você não pode mais perder tempo com desenhos animados ou desenhos livres em uma folha de papel. Há também os que falam que você não tem mais tempo de ler seu livro favorito, aquele com figuras coloridas porque a sua rotina só te deixa ler letras copiadas em uma máquina criada para tirar sua atenção. Há quem comente que as suas roupas não estão adequadas, ora você já tem vinte e poucos anos, essa mistura de cores e desenhos de criança estampados na camisa não dão uma boa impressão. Há quem se achegue e diga que seu cabelo não está arrumado e podem achar que seu desleixo com as madeixas seja um pouco imprudente e pode gerar certa repulsa dos jovens homens interessados e interessantes que procuram uma menina que não é você. E por falar em meninos, há quem fale que nos seus vinte e tantos anos, tê-los para si é a única forma de ser verdadeiramente feliz.

Este verbo “haver”, tão sonoro e dito nos dias de hoje pode assustar, mas em muitos momentos te levam a aceitação. Ora, se “há quem diga”, deve ser alguém muito importante mesmo, sendo assim vou ouvir e seguir o que falam. E é neste momento que o ser humano se robotiza, do verbo “virei robô”. É uma necessidade de se igualar, de achar um padrão que incomoda e se acomoda depois de uns cinco “há quem diga”. Um círculo vicioso, uma Progressão Geométrica Infinita que você tende a seguir, mas não deve…

Permita-se um chocolate depois do café da manhã, uma risada no momento mais tenso da defesa do seu TCC. Permita-se a mistura da manga com o leite, do doce e salgado, do bonito e do complexo. Permita-se uma roupa apertada, um almoço em cima da cama vendo Discovery Kids (e você não tem irmão ou sobrinho em casa). Permita-se um olhar ameno e um sorriso acolhedor. Permita-se uma reunião com os amigos para falar de nada para só dizer “eu estou aqui”. Permita-se uma corrida não para ganhar o peso ideal, mas para não perder aquela aula importante. Permita-se um novo amanhã, que não seja igual ou sequer parecido com o seu ontem. Permita-se ser a mudança e ser o “não-padrão”.

Permita-se acordar em uma manhã de quinta feira e tirar a poeira daquilo que nunca foi você.

Mas permita-se.

Mariana Cassiano

Anúncios

9 comentários sobre “Permita-se

O que achou do texto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s