Lá e cá

Encontrei alguém. Alguém que faz com que o toque seja mero detalhe dentro de todo o baile chamado relacionamento. Não há toque de mãos, mas se houvesse seria o melhor toque de mãos. Não tenho como contemplar seus olhos e ficar o fitando por horas a fio, mas se isso eu pudesse fazer garanto que perderia horas só admirando-o. Deitaria no seu ombro se isso eu pudesse fazer e sentiria suas mãos acariciando meu rosto, enquanto eu segurava seu corpo todo junto a mim, para que ele pudesse entender que aonde eu estava, ali naquele momento, era aonde eu mais queria permanecer.

Ele então, se pudesse, me olharia, com um ar de surpresa e descoberta: “Vamos sair para passear hoje? Conhecer a cidade?” ou quem sabe um tão sonoro “Vamos ficar aqui!” Não importaria que pedido viesse ou como viesse. Não importaria a intonação da sua voz, ou a quantidade de vezes em que ele se atrapalharia ao dizer o quanto eu estava bonita naquela tarde ou que estava com fome e o café ainda não chegou. Não importaria o tempo passando e nós dois observando do lado de dentro da janela, tumulto demais, gente demais, mas lá dentro, havia amor demais.

Mas (ah) se ele estivesse por aqui agora, contando com os meus dedos quantas vezes ri meio desengonçada, mal sabendo ele que os risos são somente por ele estar ali, mal sabendo ele que depois de um longo tempo ele que conseguia me fazer sorrir. Para descontrair um pouco jogaríamos: estaria frio, um bom chocolate quente, uma coberta, um bom lugar para preparar uma estratégia perfeita para dominar alguma região, ou apenas umas desculpa. E quando levantasse para buscar o café, se ele soubesse, o quanto eu ficaria sem jeito se ele não parasse de me olhar meio abobado, como que quem olhasse um prêmio, como quem olhasse uma bela história, não faria isso de jeito nenhum.

Contudo fatos ficam presos somente da imaginação, histórias bonitas, cheias de significado, limitadas por algumas linhas ou vozes que tentam aproximar o que está mais distante. Mas mal sabe ele que só precisaria dizer pequenas e poucas palavras para que eu esperasse daqui da minha janela esse dia aparecer. Mas (ah) mal sabe ele que eu… Eu encontrei alguém… Alguém: que amanhece meus dias com tanto amor como se estivesse acordando e me deparando com seus olhos, que dá sentido aos meus dias cinzentos lá e cá.

Alguém com ele.

Mariana Cassiano

Anúncios

O que achou do texto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s